sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

O meu isqueiro

__Numa das vezes em que andei pela Main Street de Bozeman, parei numa tabacaria para dar uma olhada nas revistas. Caí na tentação de dar uma espiadinha nos isqueiros que estavam à venda. Sempre quis comprar um dos bons. Não que eu entenda alguma coisa disso. Mas toda vez que eu dou uma volta em algum shopping do Brasil, acabo parando na frente de uma daquelas lojinhas que vendem baralhos e enfeiteis a preços absurdos e fico cobiçando aqueles isqueiros charmosos.
__Depois de observar todos os que estavam vitrine, pedi para o cara do caixa que me deixasse ver um com cor de madeira. Tinha umas duas polegadas e era dourado na ponta. Testei a chama, que era azul, forte, tinha formato de agulha e fazia som de maçarico.
__-Quanto é?
__-Trinta e nove dólares.
__Eu ainda não tinha comprado nada em Montana para trazer de lembrança. E eu nunca encontraria um isqueiro espetacular daqueles por trinta e nove dólares no Brasil. Mesmo que encontrasse, não compraria, porque ganhar trinta e nove dólares em Montana era uma coisa. Em Porto Alegre, é outra completamente diferente. Aquela era a hora de comprar um pecado para o resto da vida. Paguei com a dor de um contador mão de vaca que sabe que está gastando com um luxo absolutamente inútil.
__Até o fim da minha estadia em Big Sky, andei para lá e para cá com o isqueiro no bolso da minha jaqueta preta do Brasil. Não abri a mão nem para comprar uma jaqueta especial para o frio em uma cidade que vive temperaturas abaixo de 40 graus negativos, mas comprei um isqueiro. À noite, antes de dormir, brincava com ele no escuro. Os colegas achavam que ele era o máximo. Que compra!
__Pouco mais de um mês depois, chegou a hora de deixar Montana. O taxista que me levou até o aeroporto me contou sobre a raiva que os montanenses vinham cultivando contra os californianos cheios da grana que fazem fortuna na califórnia e compram terras e casas em Montana. Por causa desse movimento, vai ficando cada vez mais difícil para um montanense comprar uma casa na sua própria terra, pois os preços dos imóveis sobem sem parar. Uma pena para mim, que sonhei (e ainda sonho) em voltar para morar um dia por ali. Tudo bem. Pelo menos comprei um isqueiro de lembrança.
__Cheguei no aeroporto e fiquei registrando minhas histórias no computador até a hora do vôo. Veio a hora de passar pelos portões de embarque e pela segurança. Entrei na fila para fazer o strip-tease. Antes de qualquer vôo nos EUA, revistam não só nossas mochilas, mas também nossos cintos e nossos sapatos. Na minha vez de mostrar tudo, a segurança simpaticíssima que me revistaria falou:
__-Preciso da sua jaqueta.
__-Claro! Aqui está.
__Ela revistou bolso por bolso, até colocar a mão no meu querido isqueiro. Pegou, girou, analisou e disse, gaguejando, sem jeito, quase pedindo desculpas:
__-Senhor, isqueiros não são permitidos no avião...
__-E o que eu faço?
__-Você tem duas opções: pode voltar para o saguão do aeroporto e deixar o isqueiro com algum parente ou enviá-lo para algum endereço por Fedex.
__Pensei, pensei e pensei.
__-Não posso deixar esse isqueiro com o piloto? Daí ele me devolve quando chegarmos no destino.
__Para o meu azar, eu estava em um país sério, em que as chances de alguém fazer o que é pago para fazer são um tanto maiores do que no Brasil:
__-Infelizmente, não, senhor. Os pilotos também são proibidos de levar isqueiros. Não há como o senhor levar este isqueiro neste vôo.
__Pensei mais e mais, mas não havia o que fazer.
__-Moça, vou levar esse isqueiro comigo, você querendo ou não.
__Brincadeira! Eu jamais diria isso. O que eu disse, levantando os braços em sinal de conformação, foi:
__-Bem, acho que não há nada que eu possa fazer. Vou deixar o isqueiro aqui com você.
__-Sinto muito, senhor. Eu sinto muito.
__-Tudo bem, tudo bem. Você só está fazendo o seu trabalho.
__Olhei para trás e lá estava o Bryan, um amigo americano do Big Sky. Ele era o próximo da fila. Eu não sei como estava o meu rosto, mas o dele era pura tristeza. Ele estava sensibilizado por causa da minha perda inestimável.
__-Sinto muito, Renan. Eu sinto muito. Você é um cara legal, Renan. Você é um cara legal.
__Essa foi a história que marcou a minha despedida de Montana. Gostaria de trazer um pedaço de Montana comigo, mas foi Montana que ficou com um pedaço de mim: o meu isqueiro.
_
**********************************************************
_
__JJá no Brasil, casualmente encontrei o mesmo isqueiro por 375 reais. Só encontrei, não comprei.

23 comentários:

Fábio Rebouças disse...

Puta que pariu, meu.

Um isqueiro por 39 dolares e teve que deixar em montana???

Caralho!

Essa foi foda!!!

Na verdade você alugou por 39 dolares...

...mas é isso mesmo, acho que valeu a pena pra vc.

taegrl220 disse...

Poor Renita!

You freaked out when u saw it in Brasil :)

Rodrigo Ribeiro da Silva disse...

Começei a ler seu blog hoje [descobri ele hoje] do começinho pois quero saber de tudo!!!

Voçê realmente escreve muito bem e dá pra imaginar tudinho do q vc fala!!!

Se um dia vc lançar um livro eu com certeza vou comprar!!!

Rodrigo Ribeiro da Silva disse...

Eu quase morri de tanto rir doas histórias com o Dan. Ele realmente é um tanto quanto estranho e é essa estanhesa que faz ele ser engraçado!!!!!
Tô lendo aos pedaços pq tem muita coisa escrita aqui e cada história tem sua peculiaridade.
Realmente a perda do esqueiro foi lastimável!!!
Aqui em Goiânia a gente não vê muitos "chapéus" legais jogados pela rua [kkkkkkkkkkkkkkkk].
Realmente sua história intercambista é muito legal e é como se eu estivesse vendo um filme!
Eu tenho 18 anos e amo inglês e EUA desde os 8 anos de idade quando entrei na minha atual igreja que é fundada por um pastor brasileiro casado com uma americana e enviado pela missão americana!!!
Hoje na minha igreja tem mais um pastor americano que tem 3 filho pequenos: André[Andrew] 7, Carol [Carol Ann] 5, e Luca [Luke] 3.
Esse pequeninos são muito enérgicos e eu gosto de brincar[é... apesar da idade eu ainda gosto de brincar] com eles e sempre aproveito pra praticar inglês comversando com ele principalmente o Andrew!!!!!
Nós costumamos sempre nós tratar por "Baby Wine"!!!!!
Andrew is the first baby wine
I am the second baby wine
Carol is the third baby wine
Luke is the Fourth baby wine

Acho que cabei escrevendo um comentário muito grande!!!!
Também acho que foi mais pessoal do que sobre o blog!!!!
Se não quiser aceitar como comentário tudo bem!

E vou continuar lendo seu posts!!!!

bye bye !!!

Renan Caleffi de Oliveira disse...

Valeu, Rodrigão!

Obrigado pelos comentários. Fico muito contente que você esteja gostando do blog. Isso me estimula a fazer um bom trabalho tanto aqui no site quanto no livro que quero lançar o quanto antes.
Grande abraço!

Manuela C. Dorea disse...

Nossa..que casualidade....entrei no seu blog por acaso atraves do link numa comunidade de livros do orkut...comecei a ler por curiosidade e quando vi ja estava lendo todos os seus posts...Sua narrativa é uma delicia de ler e imaginar...Parabens, vc tem talento...espero que seu livro ja esteja saindo...sei que as vezes pode parecer dificil, mas nao desista...acabe este livro!!!
Boa sorte!
M.Dorea.

Renan Caleffi de Oliveira disse...

Obrigado, Manuela! Fico muito grato pela gentileza.
É um prazer sem tamanho receber um retorno assim. Isso me motiva muito. Espero que goste de toda a leitura que há neste blog.

Scarlett disse...

Querido amigo...
Que saudade e que post mais fofinho hehe, muito engraçado hahaha... Fui obrigada a ler pro meu irmão porque naquela parte do "eu nunca diria isso!" hahahaha comecei a rir aqui comigo, daí claro que ele pediu do que se tratava. Gostei da linguagem, colega, ta adquirindo uns requintes mais sarcásticos, humor aguçado. Um grande abraço pra ti, to me sentindo meio tentada a fazer um blog também.Acho que minha resistência não vai durar muito tempo! Renan, a Débora minha prima (aquela que as vezes me conta coisas do teu blog que nem eu li, se saindo bem melhor que a encomenda) está indo para os "States" (Winsconsin) e também está escrevendo um blog (http://debbydiary.blogspot.com/2008/04/foi-triste-mas-foi-mas-sem-dvida-o.html) O último post é sobre o enterro de nossa avó. Valeu, abração pra ti.

Rodrigo disse...

Poxa tah sumido!!!!!!
Tô com vontade de ler mais histórias sobre bigsky!
Sei q tem suas obrigações e tudo mais , só q já tem mó tempaum néh!?!?!?
Abraço pra ti!!!!

Renan Caleffi de Oliveira disse...

Valeu, Rodrigo! Grande presença!
Desculpa mesmo. É que eu simplesmente não tenho de onde tirar tempo nesses meses de aula e trabalho. Aí, o blog ficou na mão.

Walisson Luis disse...

Descobri o seu blog ontem enquanto entrava em comunidades de intercâmbio (fechei o meu programa de trabalho e ferias essa semana, e to numa agunia louca!), e uma coisa que sempre me vinha a cabeça era como mandar as noticias e contar as historias para todos sem precisar ficar escrevendo varias vezes, e nao é que estou pensando em criar um blog também? facilita as coisas hehehe...

É claro que nao escrevo tão bem quanto você, mas espero ter tantas histórias quanto!

Obrigado por saciar umas duvidas e me ajudar a aguentar a agonia! =D

Renan Caleffi de Oliveira disse...

Valeu, Walisson!

Daqui pra frente, tu vai ficar cada vez mais agoniado. Então, te prepara!

Faz um blog sim, cara! Tu vai ver que é um grande prazer.

E não esquece de me mandar o link.

Abraço!

Walf disse...

Fiz meu blog! Ainda tenho muitas coisas pra arrumar, mas já fiz meu primeiro post... hehehe

http://walfdf.blogspot.com

Rodrigo Ribeiro da Silva disse...

Passando aqui pra deixar um OI e dizer q to morrendo de saudades do blog!!!!!!

Tem nenhuma previsão de post novo???

Um abraço!!!!

Renan Caleffi de Oliveira disse...

Pois é, cara... está complicado, viu?
Não sei se escrevo um post para dizer adeus ou se deixo o blog assim como está, com esse último post sobre o isqueiro, que o pessoal gostou bastante. Ainda preciso encontrar tempo para o livro!

Cali_________________________ disse...

Hmmm.... adivinha o que eu vou pedir...???? Um post??? hehehehe Um abraço, amigo, a gente se ve por aí! Não tais postando porque queres ver isso aqui bombando de comentários né???

Roberta Müzel disse...

10 !

Roberta Müzel disse...

td parado.

plastic! disse...

ba eu tava aqui vagando pela internet, e achei teu blog, procurando no google 'intercâmbio de 6 meses eua' e adivinhaa o que eu achei? te achei! SGAHAGOSHGASI por incrivel que pareça tambem sou de porto alegre, e to com MUITA votnade de passar 6 meses nos eua fazendo high school. adorei tuas historias e que pecado essa do isqueiro em? IÇOSAGJIOSAGÇIÇOGAS
beiijos
qualquer dica e tal, peçoque tu me mande um email, milinha_324@yahoo.com.br

Bárbara disse...

sério, gostei da sua história

Bárbara disse...

sério, gostei da sua história

Anônimo disse...

Renan, estou indo para o big sky resort no final deste ano e seu blog me deu otimas dicas! Queria saber de vc se mesmo sem saber ao certo o horario de trabalho devo tentar contactar outross lugares para um second job daqui do brasil mesmo? Outra pergunta é a respeito das roupas, o que devo comprar por aqui? é possivel ficar de jeans por lá? eu vou trabalhar na cafeteria.. obrigada!!!! Livia

Leitor disse...

Olá, Livia.

Acho que se você entrar nos sites dos empregadores locais, você já pode preencher uns formulários e antecipar oportunidades. Mas pra você conseguir ser contratada mesmo, só estando lá. Acho quase impossível sair do Brasil com dois empregos garantidos.

Quanto às roupas: a roupa padrão para se trabalhar em Big Sky é calça social preta e sapato preto. Jeans não. Então é bom levar isso daqui. O resto é melhor comprar lá mesmo, em Bozeman, onde você consegue preços muito melhores que os daqui.