quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

A Cabeça do Brasileiro


__Hoje - já em Porto Alegre, levando a velha vida de estudante e estagiário - , no meu horário de almoço, dei um pulo numa livraria para comprar "A Cabeça do Brasileiro", livro recente de Alberto Carlos Almeida. Não havia praticamente ninguém no local. Falei com o simpaticíssimo atendente:
__-Boa tarde, colega. Estou procurando pelo livro "A Cabeça do Brasileiro". É lançamento. Tu tens aí?
__-Deixa eu dar uma olhada aqui no sistema. Pode repetir o nome do livro?
__-A Cabeça do Brasileiro.
__-Tá. É... não tenho aqui comigo. Mas posso chamar e daí chega hoje à tarde mesmo.
__-Não é certo que eu vou comprar.
__-Não tem problema. Vou pedir alguns mesmo assim. Tu foi o primeiro a pedir, mas, já que é lançamento, é bom ter aqui.
__Combinei que passaria mais tarde para comprar o livro, depois de pesquisar uns preços. Chegando no meu serviço, usei o computador para visitar algumas livrarias virtuais e achei que o preço justo seria entre 34 e 38 reais. Telefonei então para o atendente:
__-Amigo, encontrei aquele livro por 34. Tu não me faz por 34?
__-Espera aí. Qual é mesmo o nome do livro?
__-A Cabeça do Brasileiro.
__-Achei aqui. É... posso fazer pra ti por 37.
__-37 está bom.
__Terminado o expediente, fui para a livraria.
__-E aí, amigo? Chegou meu livro?
__-Vamos ver aqui...
__Ele foi para uma prateleira onde havia vários livros marcados com bilhetes e depois me perguntou:
__-Qual é mesmo o nome do livro?
__-A Cabeça do Brasileiro.
__Comprei o livro para entender melhor a cabeça do brasileiro. Antes mesmo de começar a ler, já posso deduzir que essa cabeça tem memória curta.
__Lerei o livro no fim de semana, e depois comento aqui no blog, se eu me lembrar.