quinta-feira, 16 de agosto de 2007

Estupros na universidade

__Bozeman fica a pouco mais de uma hora de Big Sky. Aproximadamente 32.500 pessoas moram lá. A taxa de desemprego é de 3.2% e a renda per capita é de 26.442 dólares.
_
__Bozeman vista de cima, com destaque para a universidade, a MSU
_
__Quando você caminha pelas calçadas de qualquer área da cidade, as pessoas olham nos seus olhos, sorriem e dão bom dia. Diga que você é estrangeiro e o sorriso delas aumenta. Então elas dão boas vindas e desejam que você passe um ótimo tempo no país.
__Coisa engraçada é andar pela rua principal da cidade, a Main Street. Basta que uma pessoa se aproxime de uma faixa de pedestres que corta a rua e pronto: o trânsito pára de fluir nos dois sentidos. Mesmo que o sinal esteja vermelho para o pedestre e verde para os carros, nenhum veículo se aproxima da faixa. O visitante fica sem entender o que está acontecendo. Ele olha para os motoristas e eles sorriem e cumprimentam. O pedestre só precisa esperar para atravessar a rua se for hora de os trabalhadores voltarem para as suas casas, lá pelas 5 da tarde. Acredito que a cidade entende que esse horário pertence aos motoristas.
__Casas de madeira caracterizam os bairros. Várias delas têm uma cadeira de balanço na frente e aproveitam a sombra de árvores altas. Não há portões ou grades. Os jardins são belos e a grama é muito bem aparada. A cidade é simplesmente um pedaço do paraíso.
_
__Prédios da universidade
_
__Bozeman tem uma bela universidade, a MSU (Montana State University). No meu último dia em Montana, resolvi visitá-la mais uma vez (nos meus quatro meses nos EUA, passei por lá umas três vezes). Dessa vez, fui munido de uma máquina fotográfica. Logo que cheguei, vi desenhos azuis espalhados por todo o chão. Abaixo, a foto de um dos desenhos:
__ __A mensagem diz: essa pegada representa 1 de 160 estudantes da MSU estupradas todos os anos
_
__160 pegadas foram espalhadas pela universidade em sinal de protesto contra uma onda de estupros, além de faixas e convites para uma manifestação no dia 19 de abril.
_
__Fiquem juntos. Tomem a noite de volta

__Fiquem juntos. No dia 19 de abril, represente as 160

__Há mais estudantes estupradas do que estudantes que tentam recuperar a noite (manifestação de indignação pelo baixo número de pessoas que comparece aos protestos)

quarta-feira, 15 de agosto de 2007

Renan Calheiros? He, he!

__Amigos andaram me perguntando se eu voltarei em breve aos Estados Unidos. Isso não está nos meus planos, mas talvez eu tenha que considerar essa possibilidade. Aonde quer que eu vá vejo placas dizendo "Fora Renan". Devo ter dito alguma coisa que ofendeu os brasileiros nesse blog. O jeito é cair fora.
*************************
__O diálogo abaixo se repetiu, pelo menos, um trilhão de vezes na minha vida, muito antes de as maracutaias do presidente do Senado serem descobertas:
__-Qual o seu nome?
__-Renan.
__-Renan Calheiros? He, he!
__Todos os que fizeram essa piadinha aparentemente achavam que era a primeira vez que eu estava ouvindo aquilo. Por alguma razão, eles pensavam que ninguém seria capaz de associar Renan a Renan Calheiros. Minha esperança era que um dia o Calheiros sumisse, as pessoas esquecessem seu nome e eu pudesse viver em paz. Mas agora o desgraçado me apronta uma dessas e me condena a ser associado a ele pelo resto da minha vida.
__Renuncia logo, presidente! Dê um pouco de paz aos Renans do Brasil.
**************************
__Agora, quem se deu mal mesmo foram os Pedrinhos do Brasil, depois daquela propaganda da Glade (clique aqui para assistir).

domingo, 12 de agosto de 2007

Discurso de uma americana bêbada

__A bartender de um hotel em que eu trabalhava passou pela recepção para falar comigo antes de ir embora.
__-Renan, quando é que você vai embora?
__-Não sei ao certo quando saio dos Estados Unidos. Saio de Big Sky lá pelo dia 17 ou 18 de abril e vou para Las Vegas.
__-Wow! Você vai adorar. Tem muita coisa para se fazer. Eu já estive lá. Dá para beber e jogar muito!
__-Não posso fazer nenhum dos dois. É preciso ser maior de 21. Eu tenho 20.
__-Sério?
__-Sim.
__-Não dá para perceber. Você parece ser muito mais velho que isso. Se você não vai jogar, o que vai fazer por lá?
__-Passear. Há um casal de amigos me esperando. Vamos passar alguns dias por ali. Dizem que é muito bonito. Estou bem empolgado.
__-Esses seus amigos são brasileiros?
__-Não, eles são americanos.
__-De onde você conhece esse casal?
__-Da internet. Já faz uns dois anos.
__-Que legal! Sabe, eu acho legal que você tenha amigos americanos. Eu fico triste por não ter amigos brasileiros. Há tantos brasileiros aqui. Queria ser amiga de pelo menos um deles, para poder abraçar, bater nas costas e dizer para os outros: "Ei, esse é meu amigo brasileiro."
__Notei que ela estava um pouquinho alcoolizada e que um discurso amigável de bêbado estava a caminho. Ela continuou:
__-Eu acho que o problema é que os brasileiros se fecham entre eles aqui em Big Sky. Eu queria que os americanos e os brasileiros se integrassem mais. Sabe de uma coisa? O Bush é um idiota.
__Entenderam? É por isso que os brasileiros e os americanos não se juntam em Big Sky: porque o Bush é um idiota. Perguntei:
__-Você não gosta dele?
__-Eu? Eu o odeio! Ele é um idiota, um ditador. Roubou a primeira eleição. Está sempre falando "a América isso, a América aquilo". Ele nem sabe o que é América! Para começar, eu não sou americana. Eu sou uma cidadã dos Estados Unidos. América para mim é todo o continente.
__Primeiro ela falou que queria que os americanos e brasileiros se integrassem mais. Depois, do nada, disse que o Bush era um idiota. Pensei que fosse uma daquelas conexões que os bêbados fazem entre assuntos que não têm qualquer relação para falar por horas e horas. Mas agora, relendo a conversa que anotei logo depois que terminou, acredito que a colega quis dizer que ao usar a palavra América para tratar apenas dos Estados Unidos, o presidente Bush colabora para que os países de um mesmo continente se distanciem, incluindo Brasil e Estados Unidos.
__Continuemos com o discurso da minha coleguinha. Quando há um bêbado falando, há três possibilidades: a de sair uma coisa muito engraçada (probabilidade média), a de sair uma coisa completamente sem sentido e inútil (a mais provável) e a de sair algo muito inteligente (a mesma chance de se ganhar na mega-sena duas vezes seguidas).
__-Um dia estávamos eu e um amigo meu conversando. Eu disse: "Nós somos ricos." Ele disse que não, pois ganhávamos salário mínimo (em torno de 850 dólares mensais). Eu disse que éramos sim, pois tínhamos dinheiro para comprar cerveja, tênis, para pagar aluguel e várias outras coisas que não é fácil de se pagar ao redor do mundo. Eu vejo toda essa pobreza no mundo e fico muito triste. Então eu penso: "O que eu posso fazer?" Posso só ser uma boa pessoa e me sentir triste por eles. Eu amo Montana. E a vida é bela. E é muito bom que vivamos tão bem por aqui, e é muito triste que não há nada que possamos fazer. A vida é bela e eu gosto de viver.
__Na minha opinião, um ser humano pode fazer muito mais do que ser uma boa pessoa - o que quer que isso signifique - e se sentir pelos que sofrem. Mas eu lá vou discutir com bêbado?
__E aí? Como você classificaria esse discurso? Muito engraçado, muito inútil ou muito inteligente? Comente!