domingo, 12 de agosto de 2007

Discurso de uma americana bêbada

__A bartender de um hotel em que eu trabalhava passou pela recepção para falar comigo antes de ir embora.
__-Renan, quando é que você vai embora?
__-Não sei ao certo quando saio dos Estados Unidos. Saio de Big Sky lá pelo dia 17 ou 18 de abril e vou para Las Vegas.
__-Wow! Você vai adorar. Tem muita coisa para se fazer. Eu já estive lá. Dá para beber e jogar muito!
__-Não posso fazer nenhum dos dois. É preciso ser maior de 21. Eu tenho 20.
__-Sério?
__-Sim.
__-Não dá para perceber. Você parece ser muito mais velho que isso. Se você não vai jogar, o que vai fazer por lá?
__-Passear. Há um casal de amigos me esperando. Vamos passar alguns dias por ali. Dizem que é muito bonito. Estou bem empolgado.
__-Esses seus amigos são brasileiros?
__-Não, eles são americanos.
__-De onde você conhece esse casal?
__-Da internet. Já faz uns dois anos.
__-Que legal! Sabe, eu acho legal que você tenha amigos americanos. Eu fico triste por não ter amigos brasileiros. Há tantos brasileiros aqui. Queria ser amiga de pelo menos um deles, para poder abraçar, bater nas costas e dizer para os outros: "Ei, esse é meu amigo brasileiro."
__Notei que ela estava um pouquinho alcoolizada e que um discurso amigável de bêbado estava a caminho. Ela continuou:
__-Eu acho que o problema é que os brasileiros se fecham entre eles aqui em Big Sky. Eu queria que os americanos e os brasileiros se integrassem mais. Sabe de uma coisa? O Bush é um idiota.
__Entenderam? É por isso que os brasileiros e os americanos não se juntam em Big Sky: porque o Bush é um idiota. Perguntei:
__-Você não gosta dele?
__-Eu? Eu o odeio! Ele é um idiota, um ditador. Roubou a primeira eleição. Está sempre falando "a América isso, a América aquilo". Ele nem sabe o que é América! Para começar, eu não sou americana. Eu sou uma cidadã dos Estados Unidos. América para mim é todo o continente.
__Primeiro ela falou que queria que os americanos e brasileiros se integrassem mais. Depois, do nada, disse que o Bush era um idiota. Pensei que fosse uma daquelas conexões que os bêbados fazem entre assuntos que não têm qualquer relação para falar por horas e horas. Mas agora, relendo a conversa que anotei logo depois que terminou, acredito que a colega quis dizer que ao usar a palavra América para tratar apenas dos Estados Unidos, o presidente Bush colabora para que os países de um mesmo continente se distanciem, incluindo Brasil e Estados Unidos.
__Continuemos com o discurso da minha coleguinha. Quando há um bêbado falando, há três possibilidades: a de sair uma coisa muito engraçada (probabilidade média), a de sair uma coisa completamente sem sentido e inútil (a mais provável) e a de sair algo muito inteligente (a mesma chance de se ganhar na mega-sena duas vezes seguidas).
__-Um dia estávamos eu e um amigo meu conversando. Eu disse: "Nós somos ricos." Ele disse que não, pois ganhávamos salário mínimo (em torno de 850 dólares mensais). Eu disse que éramos sim, pois tínhamos dinheiro para comprar cerveja, tênis, para pagar aluguel e várias outras coisas que não é fácil de se pagar ao redor do mundo. Eu vejo toda essa pobreza no mundo e fico muito triste. Então eu penso: "O que eu posso fazer?" Posso só ser uma boa pessoa e me sentir triste por eles. Eu amo Montana. E a vida é bela. E é muito bom que vivamos tão bem por aqui, e é muito triste que não há nada que possamos fazer. A vida é bela e eu gosto de viver.
__Na minha opinião, um ser humano pode fazer muito mais do que ser uma boa pessoa - o que quer que isso signifique - e se sentir pelos que sofrem. Mas eu lá vou discutir com bêbado?
__E aí? Como você classificaria esse discurso? Muito engraçado, muito inútil ou muito inteligente? Comente!

2 comentários:

Lipee disse...

depende do seu ponto de vista!

olhando rapidamente eh mtooo inutil! mas nao tao inutil se voce fosse um cara solteiro que tivese afim de pegar ela!

pq? pq ela iria querer um amigo brasileiro? (lembrando que existe a queda pelo sotaque e brazuca tem fama de boa pegada) apenas para abraçar!?

:P

Renan Caleffi de Oliveira disse...

Barbaridade! Esse Lipee não é mole! Se depender dele, todas as americanas da região do seu intercâmbio saberão o que é abraçar um brasileiro e mais uma série de coisas.