terça-feira, 3 de abril de 2007

Sotaque

__Eu atendia um casal de namorados no Ticket Sales. Eles tinham dentes de metal. Não estou falando de obturações. Estou falando de bodymod, que é a modificação radical do corpo praticada por várias tribos ao redor do mundo, e que tem como exemplos implantes de bolas de metal debaixo da pele, divisão da língua em duas partes e até amputação de dedos. Os clientes que eu estava atendendo haviam arrancado seus dentes e agora tinham dentes que pareciam pequenos parafusos. Eles me perguntaram:
__-Quanto custa um ingresso?
__O preço do ingresso varia em função da faixa de idade do cliente. Eu não sabia se aqueles seres de dentes metálicos eram maiores ou não. Perguntei:
__-How old are you?
__O casal não entendeu a minha pergunta. Penso que não sou bom em dizer how old are you, pois muitos clientes não me entendem quando pergunto isso.
__Os dois puxaram assunto comigo:
__-De onde você é?
__-Do Brasil. Vocês acham meu sotaque muito pesado? Ninguém entende quando pergunto a idade.
__-É... seu sotaque é um pouco pesado.
__O casal ria e seguia querendo conversar. Perguntei:
__-Eu não estou dizendo how old are you corretamente?
__-Está.
__-Então porque ninguém me entende?
__-Vai ver é o seu microfone que está funcionando mal.
__-É. Na verdade, eu nem tenho sotaque. É esse microfone que dá a impressão de que eu tenho sotaque. Eu sou americano.
__Eu acreditava que poderia perder o sotaque de estrangeiro depois de aprender Inglês nos EUA. Queria que meu Inglês melhorasse a ponto de eu poder passar por americano. Mas agora que estava aqui conversando com os americanos todos os dias e eles sempre confirmavam que eu tinha um sotaque, percebi que essa meta seria um tanto difícil de atingir.
__Resolvi que queria dizer sem sotaque, pelo menos, as frases que eu mais dizia no Ticket Sales. Pedi para o Dan me ajudar:
__-Dan, quero aprender a falar how are you doing (como vai você) sem sotaque.
__Ele pronunciava a frase e eu tentava repetir sem sotaque, mas era inútil. Ele disse:
__-Primeiro você precisa aprender a falar doing. Olha só: doing!
__Eu repeti doing dezenas de vezes sem ter sucesso. Eu não sou capaz de pronunciar sem sotaque uma das palavras mais elementares da língua Inglesa.
__Contei para os colegas do Ticket Sales que nenhum de nós sabia dizer doing. Nenhum deles acreditou. Então chamei um colega americano do Guest Services, o Jimmy, para dizer se tínhamos sotaque ou não ao dizer doing. Ninguém passou no teste.
__Podemos melhorar nosso vocabulário e nossa agilidade em compreender e falar o Inglês. Mas falar tão bem e tão sem sotaque a ponto de se passar por um americano para um americano não é algo que o programa Work and Travel permita ao intercambista.
__Passar-se por um americano para um brasileiro ou para gente vinda de outros países que não os EUA também é possível. Fiz isso várias vezes no Ticket Sales. Sempre que atendo um brasileiro, falo Inglês até o último instante. Só no final eu começo a falar Português, e então os conterrâneos dizem:
__-Sacanagem! Pensei que você fosse americano.

______Janela do Ticket Sales

5 comentários:

mamain disse...

É Re, a situação é reciproca, quando um Americano vem ao Brasil, logo percebemos(eles também tem sotaque).
Mas a brincadeira é interessante, os brasileiros acharem que tu és americano. Imagino com isso que estas muito bom no Inglês(apenas com sotaque).
Filho, e a páscoa, como vais comemorar?
Já comprei um Ovo de chocolate pra ti.
Amo vc

mamainnnn disse...

Só por curiosidade...
Tu perguntou para os METALICOS o porque daqueles dentes?
Se quando tomam água gelada dá arrepio? e como fazem para tomar sorvete?
Fiquei curiosa para saber também se durante o beijo faz Guic... Guic....rs
Tem Malucos no mundo inteiro.

Renan Caleffi de Oliveira disse...

Oi,Mãe!

Vou comemorar a Páscoa de acordo com as tradições locais. Quando eu estiver na Darlene, vamos colorir ovos de verdade.

Anônimo disse...

Amigo, muito bom o seu texto.
Estudo inglês há 15 anos. Em minha primeira experiência em outro país, passei um mês num curso na Inglaterra. Ainda naquela época eu pude perceber o que fica sub-entendido no seu texto:

- Não interessa quantas palavras você sabe. O mais importante é fazer-se entender.

Em minha segunda experiência, 6 meses na Nova Zelândia, coloquei em prática aquilo que tinha me deixado mais triste sobre a minha primeira experiência:

- Eu tinha um ótimo vocabulário, mas não me fazia entender tão bem quanto outras pessoas que tinham 1/2 do meu conhecimento. Elas tinham um sotaque excelente e pronunciavam muuuito bem suas as palavras de seu limitado vocabulário.

Hoje, distinguo uma pessoa pelo sotaque, sei exatamente de que país de lingua inglesa ela é e sei ainda imitar seu sotaque de forma a manter uma conversa como se eu fosse do lugar de onde a pessoa é.

Quando eu aprendo uma palavra, antes mesmo de querer saber o seu significado, procuro aprender a pronunciá-la como um nativo.

Moral da história: O significado nunca é tão importante. O que adianta vc saber se vc não pode utilizar? Saber o significado é fácil se vc sabe pronunciar a palavra, não?

luiz disse...

oi, nao sou sua mae. ja vi que eh soh ela que posta comentario aqui hehe. sei bem o que estas passando. falo ingles desde pequeno e sempre americano. morei nos estados unidos uns anos atras. agora moro na australia e faco pos graduacao aqui. quando cheguei na australia os australianos me eprguntavam se era americano. como nao sou fa de americanos tentei de tudo para perder o sotaque. tento o maximo o possivel o australiano que eh muito dificil falar. tem todos esses meio sons muito complicado para qualquer um pegar. para estrangeiros de qualquer pais me passo muitas vezes por australiano, menos para os australianos. mesmo pq eles estao acostumados com o sotaque deles. e qualquer minima nuance de pronuncia eles pegam. algumas vezes quando cumprimento um australiano as vezes me perguntam se sou. mas nao dura muito tempo para perceberem. mesmo assim eh muito dificil. as vezes me pergunto se algum dia vou perder. enfim....

boa sorte ai