quinta-feira, 8 de fevereiro de 2007

Festa no ônibus

__O ônibus que vai para o meu alojamento apareceu. Saímos do ônibus em que estávamos para nos aquecer e fomos para o outro.
__No novo ônibus, havia quatro americanos sentados nos bancos da frente e mais quatro sentados mais para o meio do corredor. Percebi que eram americanos pelo sotaque. Estavam todos conversando.
__Uma turma de brasileiros entrou no ônibus. Agora ele estava quase lotado. Ainda faltavam uns cinco minutos para sairmos dali. Os brasileiros começaram a cantar:
__-Nessa bumba eu não ando mais, acharam um bagulho no banco de trás...
__O mais novo dos americanos, que aparentava uns vinte e cinco ou vinte e seis anos, perguntou para o colega que estava sentado ao seu lado:
__-Que língua é essa que eles estão falando?
__O outro americano respondeu.
__-É Espanhol.
__-Não, acho que não. Isso não parece Espanhol.
__Através da televisão, nós, brasileiros, acabamos conhecendo muito sobre os costumes, o humor e a cultura dos americanos. Embora estivesse vivendo entre eles pela primeira vez, era como se eu já tivesse convivido com eles há algum tempo. Por isso, era estranho saber que eles não podem reconhecer o Português. Observar aquele diálogo era como perceber que a televisão é uma janela pela qual nós podemos ver os americanos, mas os americanos não podem nos ver.
__Eles estavam prestando muita atenção no que os brasileiros cantavam. Eles se olhavam e tinham uma expressão de curiosidade nos seus rostos. Estavam começando a rir.
__No banco de trás do meu, havia um casal americano. O marido e a esposa pareciam ter uns quarenta e cinco anos. Eles cochichavam, também rindo baixinho. A mulher perguntou ao marido:
__-Mas será que isso não é Espanhol mesmo? De onde eles são?
__Virei-me para falar com eles:
__-Isso é português. Eles são do Brasil.
__A americana me olhou e balançou a cabeça para cima e para baixo, num gesto de confirmação. Mas sua expressão era a de quem não estava acreditando no que eu dizia. Acho que ela pensou que eu tinha me enganado.
__Os brasileiros cantavam cada vez mais alto. Faziam piadinhas e gargalhavam. Os americanos riam cada vez mais. Não das piadinhas, que vinham em Português, mas de nós e do nosso jeito. Estava claro que eles estavam gostado. Eu queria muito saber o que eles estavam pensando daquela festa. Perguntei para o casal:
__-O que vocês acham de tudo isso? Dessa música, dessa barulheira, dessa farra toda?
__O marido falou comigo dessa vez:
__-Eles estão se divertindo. Adoro gente que se diverte. Estou gostando.
__A esposa voltou a falar comigo:
__-E você? De onde é?
__-Do Brasil.
__Eles caíram na risada. Entenderam que a minha pegadinha era descobrir o que eles pensavam dos brasileiros antes de saberem que eu era brasileiro.
__Logo depois que eu disse que era brasileiro, um senhor americano sentado do meu lado esquerdo, que devia ter uns cinqüenta anos, usava bigode, vestia uma camisa xadrez, boné e tinha a cabeça raspada, perguntou:
__-Ah! Você é do Brasil?
__Sim, eu sou.
__-Você conhece São Paulo?
__-Sim. Estive lá muitas vezes.
__-Minha família mora lá.
__Lembrando: Big Sky tem 1500 habitantes.
__-É mesmo? Sua família é americana?
__-Sim.
__-E como é a vida deles lá?
__Ele fez cara de quem tem notícia ruim pra dar.
__-Eles não falam muito bem o Português, e eles dizem que lá é muito perigoso.
__Ele estava constrangido em me dizer aquilo. Estava tomando cuidado para não me ofender. Mas ele estava apenas dizendo a verdade. Talvez esperasse que eu me magoasse com aquele comentário. Tentei mostrar que aceitava a verdade de que o Brasil é um lugar um tanto perigoso para se viver:
__-É verdade. Infelizmente, temos umas das mais altas taxas de homicídio por habitante do mundo.
__Um outro senhor americano, que sentava à minha frente, e que era bastante parecido fisicamente com o senhor com quem eu estava conversando, me perguntou:
__-Você é do Brasil?
__-Sim.
__-De que parte do Brasil?
__-Da parte sul.
__-Você conhece Porto Alegre?
__Tive que rir.
__-Eu moro em Porto Alegre.
__-Uma garota de Porto Alegre passou uns meses com a minha família aqui nos EUA no ano passado. Ela fazia um programa chamado High School.
__-Ual! Bacana! Nós também recebemos participantes americanos de High School no Brasil.
__-É mesmo?
__-Sim.
__-Quantos meses você vai passar aqui?
__-Só quatro.
__-Você vai aprender a esquiar?
__-Ainda não sei.
__-Ok.
__Mais para o fundo do ônibus, uma brasileira tomou a palavra. Os americanos estavam virados para ela, prestando atenção no que ela dizia. Ela explicava em Inglês, falando bem alto:
__-O Brasil não fala Espanhol. Somos o país latino-americano que fala Português. Isso porque Portugal colonizou o Brasil, enquanto a Espanha colonizou o resto. Agora que a gente cantou uma música brasileira, por que vocês não cantam uma música americana para nós?
__Os americanos ficaram se olhando. Agora, a bola estava com eles. A brasileira tentou dar um empurrãozinho:
__-Cantem uma música de natal.
__Alguns americanos começaram a cantar:
__-We wish you a merry Christmas, we wish you a merry Christmas...
__Essa música é curtinha, mas foi cantada umas cinco vezes. Nas últimas, quase todos no ônibus cantaram. Depois que pararam de cantar, a americana atrás de mim soltou a criança (ou a brasileira) que havia dentro dela, começando a cantar outra música de natal. Mas o seu marido colocou sua mão na mão dela e disse:
__-No, no, no. Shiu.
__Depois, um brasileiro começou a cantar de novo, e bem alto:
__-Se essa porra não virar, olê olê olá...
__Olhei para o meu colega colombiano, com quem estava conversando antes de o ônibus chegar, e falei:
__-É... esse é o Brasil!
__O colombiano ria. Ele estava achando toda aquela farra muito engraçada. A risada dele era a de um pai que conhece bem as gracinhas de um filho. Ele já estava familiarizado com aquele povo, já conhecia seu comportamento. Assim como eu, estava observando a reação dos americanos ao jeito brasileiro.
__-É... é a alegria.
__Mais um dia terminava, e eu ainda não tinha noção do que era o famoso preconceito contra os latinos.

4 comentários:

Darlene disse...

What a fun bus ride! It is nice that you are able to talk to so many different people. And, as you see, it really is a small world. Wish I could be there sharing your fun.

Scarlett disse...

Eu amo os Estados Unidos!
Eu amo o Brasil!
E por que não?
Eu amo a Colômbia!
kkkkkk

Reinaldo disse...

Nossa Filho, esta lindo, suas descrições a respeito da viagem e sua estada. As vezes penso como você esta vendo este mundo, e como interpreta cada modo e pensamento através das imagens. Achei muito interessante a maneira humorística em relatar tudo. Esta tudo muito legal ! Parabéns a você !!
Sinto muito orgulho de você ser meu filho.
Beijão muito especial

rojane disse...

Penso que o tal preconceito latino seja exclusivo de alguns estados(ou um apenas). Nos enganamos sobre muitas coisas antes de realmente conhece-las.
Dizem que o Brasileiro é um povo alegre, de fato é, apesar de toda aquela bobagem eles estavam alegres e os americanos (contagiados) também.
Beijos na pta do teu Nariz!!!