sábado, 2 de dezembro de 2006

Razões para a viagem

É de senso comum que, em grande parte das áreas de atuação profissional, inglês deixou de ser diferencial e agora é pré-requisito. Mas, embora passar um tempo no exterior colabore para aperfeiçoar a fluência no idioma, não estou congelando minha vida acadêmica e profissional apenas para ter um inglês melhor.

As razões para minha viagem estão resumidas numa passagem do livro "Mar sem fim", de Amyr Klink:

Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos e simplesmente ir ver”.

Resumindo: além da melhora no inglês, ter contato tão direto com uma cultura estrangeira me trará uma compreensão melhor não só do Brasil, mas do mundo.

2 comentários:

Luli disse...

Oi, Renanzinho! Mto boa essa idéia de fazer o blog! Que bom que, de certa forma, poderemos manter contato e saber que você estará! Te desejo todo o sucesso do mundo e uma ótima viagem! Beijos!!

Renan disse...

Lu! É um prazerzão te ver escrevendo aqui!